1° Chakra | Básico, da Raiz ou Muladhara

O DIREITO DE ESTAR AQUI.

Ancestralidade, Vitalidade, Sobrevivência e Instinto. Do Medo Para o Amor.

O Primeiro Chakra tem tudo a ver com a ancestralidade, a relação com o pai, a vitalidade, a confiança em si, a (auto)proteção, a construção de uma fundação sólida na vida, a fixação das suas raízes, das suas bases e dos instintos profundos. Vibrando na frequência da cor vermelha, Muladhara está conectado ao instinto básico de sobrevivência – um lar seguro, um emprego, dinheiro – e à nossa capacidade de nos alicerçarmos para ocuparmos o nosso lugar no mundo. A nossa relação com a natureza e com a Terra, como nos alimentamos, os cuidados com o corpo e com a saúde estão diretamente conectados com este chakra. “Eu comigo mesmo”. Chakra que rege o periodo de 0 a 7 anos e 49 a 56 anos. Palavra-chave: VONTADE.

O Chakra Básico abriga padrões de comportamento, pensamento e emoções que são repassados de geração em geração, uma vez que esse  chakra começa a se desenvolver enquanto ainda estamos no útero. Nossas raízes ancestrais, portanto, tornam-se uma parte de quem somos e, muitas vezes, temos pouca ou nenhuma consciência dessas características herdadas. Alinhando este Chakra, podemos ativar esses traços e trazê-los à consciência para que possamos nos curar – e curar nossa ascendência e descendência. Podemos até imaginar que estamos dançando com os nossos pais, avós e bisavós. Nós nos reconectamos com a nossa tribo familiar.

Muladhara significa “fonte, base, raiz de apoio”.  Este chakra fica na base da coluna vertebral,  entre o coccix e os genitais. Em harmonia, energiza e melhora a saúde de nossas pernas, pés, ossos, coluna, dentes e intestino grosso, bem como as glândulas supra-renais, que são responsáveis pela ativação do instinto de luta ou pelo mecanismo de fuga. Este chakra também tem conexão com os vícios e compulsões. O medo bloqueia o Chakra Raiz.

Nossos chakras estão todos interligados e, uma mudança de energia tem um efeito cascata sobre todos os outros. Como nossa vida exterior é um reflexo do nosso mundo interior, preste atenção aos acontecimentos externos, mensageiros de como anda os seus chakras. Permaneça em estado de receptividade para quaisquer sincronicidades ou “coincidências”, projeções do que você emana. Escreva todas as experiências ou, se preferir, pinte, desenhe ou crie poesias para representá-las. Trabalhar o chakra desperta nossa criatividade e as sugestões acima são ótimas maneiras de liberar e canalizar estas energias.

 Então, coloque sua energia em seus pés, pernas, quadris, respire fundo preenchendo seu interior com uma luz vermelha clara e vibrante e tente ver o seu mundo através das lentes do Chakra Raiz.

O objetivo aqui é aumentar o fluxo de energia através do Chakra Base para que a vitalidade, a vontade e a segurança sejam reforçados.

Chakra Básico em Equilíbrio

Vitalidade, instinto de sobrevivência, segurança, sexualidade, raiva. Relação harmoniosa com a ancestralidade e com a Terra. Sente-se em confiança. Consciente do momento presente e conectado com o corpo físico. Cuidados com o corpo, alimentação e a saude.

Desarmonia

Deficiência de energia ou bloqueado
  1. Estratégia para sobreviver à dor é dissociar do nosso corpo físico e viver predominantemente num mundo de fantasia
  2. Nervosismo ou raiva
  3. Pode gerar a sensação de não sermos bem-vindos ou aceitos
  4. Problemas com o peso, desorganização crônica e sem noção de limites
  5. Carências
  6. Medos (morte, escassez, etc), inseguranças, covardia
  7. Preguiça, apatia  

“A preguiça é uma entidade espiritual. A pessoa que está sob o poder dessa egrégora pode ficar paralisada ou agir compulsivamente mas não fazer aquilo que veio para fazer; não cumpre o programa da alma. Saia da paralisação entrando em contato com suas emoções que estão no porão. Quando você libera os sentimentos guardados, elabora, compreende, então, você abre um espaço dentro de você. O Eu Real começa a se manifestar nem que seja o suficiente pra lhe mostrar uma direção. A Graça Divina, um fenômeno que está além do ego, é que te salva. Mas você precisa limpar o caminho para que a Graça Divina possa te alcançar.” (Sri Prem Baba)

Saiba mais sobre a Preguiça aqui e aqui

Excesso de energia
  1. Fixação por segurança e proteção o que pode levar a uma dificuldade de fluir e, consequentemente, a uma paralisação.
  2. Esta energia excessiva pode se manifestar como rigidez nas ideias e atitudes.
  3. Ganância pra se proteger da insegurança oriunda de um chakra raiz fragilizado. Pessoas que guardam dinheiro, objetos, emoções e até amor pra se protegerem da dor porque se sentem fragilizadas quando (se) doam. Para saber mais sobre a Ganância: a partir de 31 min.
  4. O excesso de peso acontece quando a pessoa se sente insegura e atacada. Ao se apropriar do seu espaço no mundo, a pessoa emagrece. Mais
  5. Cansaço extremo.
  6. Cobiça. “Há que se ter disposição para abrir mão do jogo do sofrimento, que consiste basicamente em forçar o outro a dar algo que ele não tem para dar. Essa é a insanidade do eu idealizado: ele cobiça algo que está fora do alcance.” Mais

Movimentos

À medida que nos liberarmos e nos movimentarmos, o Chakra Básico começa a soltar energias. Com a prática, dissolvemos a rigidez e a lentidão, o que nos permite fluir na vida.

  1. Exercícios e movimentos com foco nas pernas, nos pés e quadris. Ou espreguiçando, deitados no chão, como se fosse uma semente. 
  2. Posição de cócoras, empurrando os pés firmemente no chão sólido, aprofundando nossa conexão com a Terra.

Os arquétipos de Muladhara

Cada chakra tem arquétipos positivo e negativo que podem ser facilmente reconhecidos e identificados em nosso cotidiano. Depois de conhecer cada um deles, medite sobre como eles estão atuando em sua vida. Entre em sintonia e encontre uma expressão criativa que ressoe para que você sinta a conexão e integração das energias dos arquétipos. Você pode fazer um diário ou representá-los em sua vida através de desenho, pintura, fotografia, colagem, poesia, cartas de tarô, etc.

O Chacra Básico tem A Ancestralidade na Figura do Pai como arquétipo da energia positiva e A Vítima como o da energia negativa.

  • Pai: A capacidade de cuidar, proteger, se afirmar. Quando o masculino está livre do ódio, ele se expressa como a mais pura beleza. Dele nasce a ação reta, a confiança para agir a partir do coração, a base para a mudança de paradigma que tanto buscamos, tendo em vista que em nossa sociedade tudo gira em torno do dinheiro (incluindo a devastação ambiental) e nossa economia ainda se baseia no medo da escassez. Mas para caminhar do medo para a confiança você precisa ressignificar a relação com o pai e a ancestralidade.

    A pessoa só pode ascender se ela se relaciona com o passado e se entende com ele. É entrar na constelação familiar; olhar, simbolicamente, para os olhos dos pais e agradecer pela vida que recebeu e por eles terem sido seu escudo energético. Sentir isso é libertar-se de mágoas e traumas. Se você, por qualquer razão que seja, não vivenciou o amor dos pais, procure ajuda psico-espiritual pra compreender, perdoar e seguir em frente.
  • Vítima:  “A vítima que te habita é uma entidade que se tornou especialista em contar histórias de horror a respeito do que a vida faz (fez) com você. Ela se alimenta da carência afetiva e da crença na ideia da falta de amor. Essa crença abre uma fenda na sua psique que é um verdadeiro poço sem fundo. A carência está ligada a choques de abandono e rejeição vividos no decorrer da sua vida. Isso cria um círculo vicioso, porque você acaba usando o fato de ter sido humilhado para justificar a reclamação contínua.” Saiba mais aqui e aqui.

    “A grande maioria das transmissões espirituais não te ensinam a lidar com a sombra. Apenas dizem que você precisa amar, mas como você supera o seu ódio? Todos dizem que você precisa ser pacífico. Mas como você se liberta da guerra que vai dentro de você? E nesses momentos limítrofes, onde somos levados para esse beco sem saída, você precisa desse conhecimento. Você precisa aprender a lidar com o mal dentro de você. Porque se você não olhar de frente para o mal, você não tem como transformá-lo.” Mais

“Toda a raiva e ressentimento são formas de escapar de um confronto com os conteúdos negados dentro de si.” Mais

Reflexão sobre o Chakra Raiz
  1. Como anda a minha relação com família e ancestrais? Com meus pais, especialmente meu pai, canal do princípio masculino que manifesta a ação no mundo? Eu sinto gratidão?
  2. Tenho pensamentos e sentimentos de medo? Com relação ao quê? Eles são reais ou fantasiosos?
  3. Quais são as minhas crenças com relação ao dinheiro e à prosperidade?
  4. Quais são minhas crenças e sentimentos sobre raízes?
  5. Como me sinto em relação às explosões de agressividade ou fúria? As minhas? E as dos outros?
  6. Consigo respeitar os limites do meu corpo?
  7. Eu me comporto com responsabilidade em relação ao planeta? 
  8. Eu sinto que posso manter situações de vida saudáveis?
  9. Estou com medo de perder algo?
  10. Tenho dificuldade de desapegar das coisas e das pessoas em geral?
  11. Sinto pertencimento?
  12. Eu aceitei estar reencarnada? Estou dizendo sim à vida? Ou viver é uma “chatice”?
  13. O que pode estar se perpetuando em meu dia a dia que reconheço ser uma crença limitante?
  14. Será que posso e me permito escolher fazer diferente?

Alinhe a sua vida cotidiana com este princípio tanto quanto for possível. Mesmo fazendo pequenas mudanças você pode ter grandes benefícios.

Talvez  você descubra que já está em equilíbrio e sintonia com este chakra e já esteja em harmonia com este princípio.

Ou talvez, você descubra que este chakra é um desafio para você e que você precisa lhe dar mais atenção.  

Respire fundo, dê um passo de cada vez, e decida fazer as mudanças necessárias ao longo do tempo. Lembre-se,  o objetivo aqui é tornar-se consciente, pois é a partir desse lugar de consciência que poderemos iniciar as transformações.

Portais para Muladhara

1. Dançar e fazer exercícios físicos

Andar descalço e reconhecer a sacralidade da Mãe-Terra. Faça passeios ao ar livre, em contato com a natureza. Sinta a segurança e nutrição oriundos das profundezas da Terra.

2. Afirmações

Estas são apenas algumas sugestões. Você pode criar a sua própria lista de afirmações referentes ao Chakra Básico e encontrar momentos e maneiras de afirmá-las diariamente, com ou sem a pratica de EFT. Coloque as frases na porta da geladeira, no espelho do banheiro ou atrás da porta da entrada da sua casa. Sinta a energia da Palavra enquanto você faz cada afirmação.

  • Eu aceito e digo um grande “Sim” à encarnação na Terra.
  • Eu Sou equilibrada.
  • Eu caminho sobre os meus pés; Eu abro meus caminhos; eu sei do meu caminho.
  • Eu Sou confiante e otimista.
  • Eu sigo na direção certa.
  • Eu sinto uma conexão profunda com a Terra.
  • Eu vivo em harmonia com todas as criaturas.
  • Eu tenho dinheiro e utilizo essa energia com sabedoria e prazer.
  • Eu encontro e assumo o lugar que me é de direito no mundo.
  • Eu amo cada parte do meu corpo, cada célula está cheia de energia e vitalidade.
  • Eu pertenço.
  • Eu tenho tudo o que eu preciso.
  • Estou disposta a me libertar de todos os medos, preocupações e situações relacionadas com o dinheiro, minha carreira, segurança e proteção.
  • Eu sei que estou perfeitamente protegida e que todas as minhas necessidades são cobertas em Abundância.
3. Jardinagem ou atividades ligadas à terra

O contato direto com a terra é o segredo. Parece bobo que uma coisa tão simples resolva uma situação tão complicada como a dificuldade em conciliar afazeres. Mas experimente! Da próxima vez em que se sentir confusa diante de tantas tarefas e possibilidades, tire seus sapatos. Caminhe pelo jardim. Solte pelas mãos e pelos pés a energia desordenada. Escolha um lugar especial, você saberá qual é. Sinta a vibração que emana do centro da Terra, ultrapassando camada por camada. Troque a sua força com a força do solo. Perceba que em determinado momento, vocês são UMA só.

Depois volte pra casa. Tome uns bons dois copos d’água. Relaxe por um momento. Feche os olhos. Durma um pouco, se for possível. Quando você acordar, o cetro estará novamente em uma de suas mãos, seu escudo ao lado. E dentro de você todo o poder da Ancestralidade reativado. Você estará pronta para próxima batalha. E o melhor de tudo: com um sorriso no rosto.

4. Ervas

Manjericão

5. Os óleos essenciais

Laranja e sândalo (acalmam).

Cravo e canela (estimulam)

Também Cedro, Patchouli, Gengibre, Alecrim.

Estes óleos podem ser utilizados na massagens, banho de imersão, compressas, inalações, escalda-pés em aromatizadores ambientais ou sprays. Dica: no banho, pingue até 5 gotas do óleo essencial no canto do box do chuveiro e inale durante o banho. Ou faça imersão dos pés: dilua 6 gotas do óleo essencial em 1 colher (chá) de óleo vegetal em 4 litros da água quente no inverno e água fresca no verão e deixe os pés de molho.

CRISTAIS:

Bloodstone, Granada, Jaspe Vermelho, Obsidiana, Quartzo enfumaçado, Rubi e Turmalina Negra são os cristais associados ao  Chakra da Base.

Bloodstone é um cristal de centralização e purifica o sangue e o coração.

Granada traz estabilidade e ordem

Jasper Vermelho aterra e aprofunda a consciência.

Obsidiana é um cristal de aterramento que também afasta a negatividade e dissolve a raiva.

Quartzo enfumaçado dissolve a negatividade, aterra e equilibra.

Esses cristais podem ser colocados no local do Chakra Básico (a base de sua espinha) para limpeza, revitalização e cura. Você pode até mesmo optar por carregar um desses cristais com você durante todo o dia.

6. Elemento e cristais

Algumas correntes dizem que o elemento deste chakra é a terra. O Elemento Terra. O que é? O que representa? O que fazer com o excesso ou a falta de Terra?

Mas a Alquimia ensina que o elemento do Chakra Raiz é o Magma que esta no centro da Terra. Portanto, segundo a alquimia, o elemento deste chakra seria o Fogo, ligado à VONTADE, O QUERER, a INSPIRACÃO. Mais

Os 7 Vórtices Energéticos da Mãe Terra

Assim como o corpo físico tem (principalmente) sete centros de energia, o mesmo acontece com o planeta, um ser vivo.

Algumas correntes de estudiosos identificam a região da Africa do Sul como o Primeiro Chakra da Mãe Terra.

Outras fontes afirmam que o Chakra Raiz do planeta se encontra no Monte Shasta, na Califórnia (EUA).

Brasil

O Chakra Raiz do Brasil se localiza na região do Nordeste.

8. Postura do Yoga
9. Mantra
10. Arcanjo, Elohin e Mestre

Arcanjo: Gabriel (aspecto masculino) e Esperança (aspecto feminino).

Elohin: Pureza (aspecto masculino) mantém a Perfeição e Amor Divino e transmuta substâncias acumuladas. Astréa (aspecto feminino) purifica a atmosfera e os corpos inferiores dos seres humanos.

Mestre (Chohan): Serapis Bey (aspecto masculino) e Lis (aspecto feminino).

Raio: 4° – Cristal.

Corpo: Fisico.

Virtudes: Pureza, ressurreição e desenvolvimento artistico.

Desenvolve: Artes em geral.

Pertence: Artistas, lideres espirituais, cientistas, arquitetos e engenheiros.

Caracteristicas seres não evoluidos: Vicios, boemia.

Prece: ARCANJO GABRIEL, peço-lhe que entre no meu primeiro chakra. Desembarace o fio desse centro, repare-o e fortaleça-o. Peço que ancore esse fio bem fundo no centro da Terra para que eu seja ancorada no corpo com alegria, compromisso, força e coragem.”

11. Planeta

Saturno, que está associado à disciplina, limites, objetividade, realidade, ambição, carreira, autoridade, hierarquia.
Saiba Mais
Saiba Mais

12. Divindades e Arquétipos
  1. Perséfone: O nome significa “aquela que ama a escuridão”. É a rainha do mundo subterrâneo e inconsciente, da morte, do renascimento e da regeneração. Sob a energia de Perséfone, médiuns vivem entre a Terra e o mundo astral e, dessa fusão podem viver uma vida muito criativa ou muito destrutiva. Ela simboliza a energia que passa abaixo do Chakra Básico, um local de crise, de depressão, de emoções intensas – paixão, sexo, raiva, poder, manipulação e lamentação. É o local que entramos através da dor, mas é também, um convite para o renascimento. Durante nossa vida, vivenciamos pequenas mortes através de perdas. Quando nos rendemos plenamente à experiência dessas pequenas mortes, somos agraciados com respostas para grandes questões. Quando você aprende essa lição, renasce, assim como Perséfone. Esta energia pode nos ajudar a enfrentar a dor, o desespero, a depressão, aquilo que São João da Cruz chamou de”a noite escura da alma”.
13. Árvores

A faia ou carvalho-do-brasil, o cipreste, o álamo ou choupo e o teixo são árvores associadas ao Chakra Básico.

Uma boa maneira de trabalhar com a energia das árvores é através dos florais de Bach ou dos óleos essenciais. Ou abraçar as árvores.

14. Material de apoio

Pra nadar em águas mais profundas:

“A dor original é a dor do #esquecimento de si mesmo. Acontece quando você perde a sua espontaneidade. Essa dor vai sendo ativada dia após dia através de situações sucessivas, ou às vezes, através de situações traumáticas que é quando a criança é forçosamente levada a usar a máscara e é cindida da essência. É quando ela perde a confiança na vida. Essa perda da inocência tem haver com a perda da confiança na vida. Assim, você se torna refém do medo. Então, o ódio é ativado para você se proteger. É assim que nasce a maldade. A primeira manifestação da maldade é o anestesiamento. Você não sente. Para não sentir a dor, você anestesia. A energia vital é usada para anestesiar.

(…) amor para a criança é toque, contato, porque ela não tem ainda a razão desenvolvida para entender que os pais estão trabalhando para sustentá-la. Amor para a criança é contato com a pele; é presença. Ela precisa também de alimento, porque ela não pode simplesmente ir até a geladeira e pegar o que precisa. Ela precisa ser alimentada na hora que sente fome. Ela precisa se sentir protegida, porque essa experiência de individualização acorda o medo; isso é automático. E, por fim, ela precisa de liberdade para se expressar. E é difícil lidar com isso. Apesar de nós entendermos que ser pai ou mãe é algo instintivo, mas como a mente está condicionada, é difícil deixar a condição natural se manifestar. A verdade é que os pais não sabem lidar com isso.

Vamos supor que a criança no seu movimento espontâneo, esteja brincando, pulando na sala… E os pais estão num momento difícil, identificados com o eu inferior, e não querem que a criança manifeste essa espontaneidade. Por exemplo, o pai está lendo o jornal e quer silêncio. Então ele diz: “Criança, cale a boca, fique quieto! As vezes para aliviar o peso, ele diz: Um menino bonitinho não faz desse jeito.” Isso se repete muitas vezes. A criança precisa de amor, alimento, proteção e liberdade. Com esta situação ela sente a sua vida ameaçada. Se ela não cede para esta chantagem, ela sente que vai deixar de receber o que precisa para continuar vivendo. Assim, ela começa a ceder a esse tipo de chantagem. Ela começa a se adequar dentro do que está sendo exigido dela, ou seja, ela começa a usar uma máscara.

Não é ela, mas ela entende que, para continuar recebendo o que precisa, ela precisa usar essa máscara. Lá fora com os amiguinhos, às vezes ela pode ser ela mesma, mas quando chega em casa, ela precisa usar essa máscara para receber o que precisa. Assim começa a haver uma divisão dentro dela. Em dado momento, uma situação específica acaba concretizando, ou completando essa cisão e com isso ela esquece quem ela é, e passa a acreditar que é aquela máscara. Então, aquela angústia que começou a surgir lá atrás devido ao sentimento de separação, é instalada no sistema. É isso que eu chamo de dor. Essa é uma dor tão profunda, uma dor emocional, que se manifesta também fisicamente. A dor gerada pelo rompimento com a essência.

Ela é o resultado de duas forças opostas dentro de você – uma força te puxa para um lado, outra para outro. Ocorre um esquartejamento. Você é realmente cortado ao meio. Essa dor abre um buraco dentro de você, o qual você tentará preencher de diversas maneiras. Começam a surgir necessidades simbólicas. Você começa a comer para preenchê-lo. Você começa a querer ser importante… As necessidades podem ser infinitas; daí surgem os vícios. Porém, o principal elemento que você usa para aliviar continua sendo a sexualidade, porque você tem uma memória de que a sexualidade proporciona a experiência da fusão, da unidade. Mas, a sexualidade foi contaminada pelo medo e pelo ódio e se transformou em luxúria. A luxúria é uma filha da repressão sexual. E da luxúria nasce todo o tipo de perversidade; todo o tipo de pornografia… E com isso você fica impedido de completar o jogo, porque você fica preso dentro de um quadrante dele.

O jogo somente se completa quando a luxúria pode ser integrada. Isso significa que o impulso sexual se liberta do medo e do ódio, e pode atingir o coração, e se fundir com o amor. É somente quando a sexualidade se funde com o coração é que você pode abrir o portal da lembrança de quem é você. É quando o feminino e o masculino se unem dentro de você que você começa a lembrar quem é você. Você começa a lembrar que você é o oceano e não a gota. Nesse momento, o ego começa a cumprir o seu papel de ser o mediador entre o mundo interno e o mundo externo, e se liberta da tirania do eu inferior, e do eu idealizado, que é somente uma forma de se proteger daquela dor criada pela cisão.”

“Estando identificado com a vítima, você não quer acreditar que tem responsabilidade em atrair a violência. Essa é a mecânica da psique. Só existe um intimidador porque existe um intimidado. O agressivo quer fazer do outro um escravo, e o submisso quer ser um escravo porque dessa forma ele exerce seu poder. O submisso exerce poder através da acusação, dizendo que o agressivo é uma pessoa má. Esse é o jogo da natureza inferior que acontece dentro do homem e da mulher, pois ambos carregam dentro de si os princípios feminino e masculino (tanto no estado original quanto no estado distorcido). É essa guerra que gera todo o sofrimento na nossa sociedade ao longo das eras. (…) Tanto a distorção do feminino como do masculino nascem da criança ferida. Ambos querem receber amor exclusivo. O agressivo, que é a distorção do masculino, procura receber amor exclusivo através da agressividade, ou seja, mostrando que é superior e independente. Nos casos mais primitivos, atacando, machucando e agredindo fisicamente. O submisso, que é a distorção do feminino, vai tentar obter amor exclusivo se fazendo de vítima e de indefeso. Ele finge que não dá conta da vida: “Ou você me ama ou eu me mato”. Ele tenta mostrar ao outro o quanto ele é errado, inadequado, violento e egoísta. Em casos extremos, ele atrai essa violência.”

“Eu tenho dito que a honestidade é a mais urgente e necessária forma de amor para esses tempos. Se através dessa honestidade você reconhece o seu “não” para o amor, então é possível fazer alguma coisa a respeito. A transformação somente é possível quando você se liberta da vítima. Muitos de vocês estão passando por essa experiência. Eu tenho recebido cartas de pessoas que tem identificado o “não”, reconhecendo a voz interior que diz: “Eu não quero”. Ou então: “Eu quero do meu jeito ou não quero nada”. Se você pode reconhecer que é você que diz “não” então você pode dizer “sim”. Esse reconhecimento representa uma mudança de identidade. E é fundamental que você reconheça o seu “não” para o amor e para a união. Enquanto você está perdido no jogo de acusações, não há espaço para essa transformação; não há espaço para o florescimento do amor altruísta, esse amor puro.

” Quanto maior a repressão sexual, maior será também a perversidade sexual. Toda a promiscuidade, toda a crueldade, toda a pornografia e perversidade, nascem da repressão sexual. Nós temos que lidar com isso de uma forma consciente; temos que encontrar uma maneira de iluminar a luxúria (querer receber sem doar), e abrir caminhos para a energia sexual encontrar o coração. Isso não é simples. Esse é o principal problema dessa era. Quando eu falo da necessidade de ressignificar o casamento, a família, para poder ressignificar a sociedade – no núcleo disso tudo está a sexualidade. Se a sexualidade não está iluminada, não há espaço para o amor. Se não há espaço para o amor, é claro que os filhos vão nascer cheios de medo e ódio. Eu tenho dito que a cura espiritual é uma ressignificação do seu nascimento, porque você se sente completo quando sente que é um filho abençoado do mistério do amor. Porque, enquanto houver marcas dessa luxúria no seu sistema, você sempre vai se sentir abandonado, rejeitado, excluído e abusado. Em alguns casos, isso é reeditado logo na infância, o que é realmente lamentável. E um dos principais alimentos que sustenta essa repressão, é a religião horizontal. É a moral religiosa, que não tem nada a ver com a moral do coração. Isso é preciso ser dito. (…) estamos falando dessa mudança de eixo.  A chave é a autorresponsabilidade. Somente essa qualidade te liberta da principal distração da jornada evolutiva: o jogo de acusação. Quando você deixa de procurar culpados pelo seu sofrimento e compreende que não é uma vítima, você quebra o ciclo vicioso do sadomasoquismo. Se você quase não consegue ver Deus nos olhos da pessoa que está com você, tem alguma coisa que não está encaixada ainda. Isso é somente uma abertura, para que você possa ver Deus em cada manifestação da vida. Ver Deus no vôo nos pássaros, no vento balançando as folhas… Vê-lo em tudo que Ele criou.

Alguns fogem e querem ver Deus dentro de uma caverna. Eu entendo que isso pode ser uma tapasya, uma austeridade para auxiliar na purificação, mas enquanto você não ver a vida como um templo, ainda tem muito trabalho a ser feito dentro de você. Deus está em tudo. Tudo é sagrado.”

“A vítima que te habita é uma entidade que se tornou especialista em contar histórias de horror a respeito do que a vida faz com você. Ela se alimenta da carência afetiva e da crença na ideia da falta de amor. Essa crença abre uma fenda na sua psique que é um verdadeiro poço sem fundo. A carência está ligada a choques de abandono e rejeição vividos no decorrer da sua vida. Isso cria um círculo vicioso, porque você acaba usando o fato de ter sido humilhado para justificar a reclamação contínua.”

Sri Prem Baba. Para ouvir na integra, acesse aqui.

“Quando você se torna 100% responsável por tudo o que acontece na sua vida, você erradica do seu sistema um dos mais profundos vícios: o #vitimismo. E um dos principais produtos da ideia da vítima é a ingratidão. Estando tomado por ela, você não consegue enxergar as oportunidades que a vida oferece; tudo é visto pelo lado negativo e se torna motivo para reclamação. A vítima é incapaz de agradecer. E é da #ingratidão que nascem os pactos de vingança e os jogos de acusação. Essa é uma das raízes da guerra. Até um determinado estagio duas forças opostas agem simultaneamente dentro do individuo no nivel da alma, mente, emocional e fisico. Somente o espirito nao se divide. Todos os demais estagios se manifestam atraves da dualidade ou todos os demais corpos estao SUBMETIDOS à dualidade. Uma força de vida, impulso criativo que se move em direçao ao amor , à uniao : corrente afirmativa ou SIM. E uma força de morte que se move em direçao à desuniao, morte, destruiçao, conflito: corrente negativa ou NAO.

O sim e o nao pode agir ao mesmo tempo sobre uma mesma area da via.

Quado a corrente afirmativa flui, vc se sente abençoado e as coisas acontecem sem esforço. Ou com minimo esforço, coisas grandiosas sao feitas. Vc se harmoniza com a lei do minimo esforço. Quado a corrente negativa esta predominando, vc se sente sem sorte, s coisas nao andam. Vc se esforça e as coisas nao saem do lugar. O Nao age incoscientemente e vc nao percebe como vc se sabota. Vc se trai. E como vc nao percebe VOCE CAI NUMA ARMADILHA DA NATUREZA INFERIOR: um desdobramento da corrente antivida: SE ACREDITAR UMA VITIMA. E começa a se distrair com jogo de acusaçoes. é um encantamento. E fica preso na mente e emoçoes pra sustentar essa historia onde vc é vitima. E o que determina o percentual de sim e de nao nas diferentes areas da vida é o karma.” 

Sri Prem Baba. Para ouvir na integra, acesse aqui.

“O maior desafio da nossa encarnaçao é nos libertarmos da “vitima” que nos habita e sermos responsaveis pela nossa paz interior. A miséria exterior nao precisa abalar a paz interna. A crença de ser uma vitima gera um falso eu que é dependente do Outro pra ser feliz. Quando você pode derrubar os muros que te separam do Outro, ai vc da passagem para o Eu Real que pode viver novas associaçoes, relaçoes, onde vc esta junto por amor, pra celebrar e nao porque você depende do Outro. Porque se vc esta junto por dependência, uma parte sua vai buscar a vingança. Esse é o processo. tenha calma. Pouco a pouco. Por hoje, apenas esteja atento ao vicio da reclamaçao. Se vc puder pegar este demônio pelo chifre, vc ja vai estar obtendo uma tremenda vitoria no seu caminho. A compreensão  é como luz e dissolve as sombras. Eu sinto que neste momento, existe uma espada apontada para os padroes de dependencia e co-dependencia. Na mira da vitima. E a vitima em você vai tentar escapar. O eu dependente e codependente vai tentar escapar. Uma hora dessas ta uma correria danada ai dentro.”

Sri Prem Baba. Para ouvir na integra, acesse aqui.

O Impacto da Ancestralidade e Raiz das Compulsões Sri Prem Baba

Quem é você na sua familia? Escola do Curador

Tudo que diz respeito à sobrevivência, real ou imaginário, circula neste chakra

  1. Filme animado sobre chakras:  (dublado)
  2. Leitura
  3. Limpeza campo aurico (video 1 e video 2)
  4. Musicas

“As cores são entidades vivas. Nós esquecemos com demasiada frequência que as cores não são só particularidades apresentadas pelos objetos, …, mas modulações da Luz.
A cada cor estão ligados Espíritos que pertencem a poderosas Hierarquias, e os Iniciados sabem criar, pelo pensamento, feixes de luzes coloridas nos quais há criaturas celestes que vão e veem.
Há, pois, todo um trabalho que vocês podem fazer com as cores. Sabendo que elas estão ligadas a entidades, concentrando-se repetidamente nelas, conseguirão torná-las vivas em si mesmos.
Desse modo, elas tornar-se-ão suportes para a prática das Virtudes e os apoiarão nos seus esforços.
Assim como as cores são variações da Luz, as Virtudes são variações da Perfeição Divina, que contém todas.”
~ Omraam Mikhaël Aïvanhov

Oração de Libertação Ancestral

“Eu liberto meus pais do sentimento de que já falharam comigo.

Eu liberto meus filhos da necessidade de trazerem orgulho para mim; que possam escrever seus próprios caminhos de acordo com seus corações, que sussurram o tempo todo em seus ouvidos.

Eu liberto meu parceiro da obrigação de me completar. Não me falta nada, aprendo com todos os seres o tempo todo.

Agradeço aos meus avós e antepassados que se reuniram para que hoje eu respire a vida.

Libero-os das falhas do passado e dos desejos que não cumpriram, conscientes de que fizeram o melhor que puderam para resolver suas situações dentro da consciência que tinham naquele momento. Eu os honro, os amo e reconheço inocentes.

Eu me desnudo diante de seus olhos, por isso eles sabem que eu não escondo nem devo nada além de ser fiel a mim mesmo e à minha própria existência, que caminhando com a sabedoria do coração, estou ciente de que cumpro o meu projeto de vida, livre de lealdades familiares invisíveis e visíveis que possam perturbar minha Paz e Felicidade, que são minhas únicas responsabilidades.

Eu renuncio ao papel de salvador, de ser aquele que une ou cumpre as expectativas dos outros.

Aprendendo através, e somente através, do AMOR, eu abençoo minha essência, minha maneira de expressar, mesmo que alguém possa não me entender.

Eu entendo a mim mesmo, porque só eu vivi e experimentei minha história; porque me conheço, sei quem sou, o que eu sinto, o que eu faço e por que faço.

Me respeito e me aprovo.

Eu honro a Divindade em mim e em você… Somos livres.”

Essa antiga bênção foi criada no idioma Nahuatl, falado desde o século VII na região central do México. Ela trata de perdão, carinho, desapego e libertação.

Visão geral do caminho dos chakras